Refação de post – CNAB: o que é, para que serve e quais os tipos?

Para que seja possível realizar quaisquer operações bancárias digitalmente é necessário, a princípio, contar com a ajuda do CNAB, que fornece os recursos e ferramentas necessários para a implementação e controle das funções de remessa e retorno de modo automático. 

Com o volume de transações aumentando cada vez mais, contar com essa tecnologia é primordial para a realização de cobranças, já que seria inviável monitorar manualmente os clientes que estão ou não em dia. 

Quer saber mais sobre esse assunto? Descubra agora o que é o CNAB, para que ele serve e quais são os tipos existentes. 

O que é o CNAB

CNAB é a sigla de “Centro Nacional de Automação Bancária”. Trata-se de um software que fornece uma interface padronizada para a troca de informações entre clientes, empresas e bancos feitas pela internet.

A determinação e o controle dos padrões desejados do CNAB utilizado pelo sistema bancário  são feitos pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). O formato de texto e as colunas devem seguir parâmetros específicos para facilitar a leitura das informações. 

Como o CNAB funciona

O primeiro passo a ser seguido pela empresa é acessar o site da instituição bancária e, em seguida, solicitar a emissão dos boletos por meio de um arquivo remessa. Feito isso, o banco é responsável por enviar os boletos emitidos aos respectivos clientes.

O processo, porém, não termina no envio. Após o cliente fazer o pagamento, a compensação do boleto é efetivada no sistema, gerando um arquivo retorno. Essas informações podem ser consultadas pelas empresas de modo que elas consigam se certificar dos pagamentos e processar a baixa dos boletos em seus sistemas financeiros.

Tudo isso é feito online e de maneira integrada, com várias operações financeiras automatizadas no sistema.

Para que serve o CNAB

O CNAB permite que a emissão e a baixa de boletos bancários seja feita digitalmente, acabando com a necessidade de preenchimento manual de dados. Por conta da automatização, ele também diminui o índice de erros nas informações dos boletos, evitando o retrabalho e poupando tempo das empresas. 

A constatação de baixa dos boletos emitidos é feita por meio da consulta diária, garantindo melhor controle da inadimplência. Além disso, o CNAB permite às empresas manterem um banco de dados 100% atualizado.

Os tipos de CNAB

Hoje, existem dois tipos de CNAB utilizados pelo sistema bancário: o CNAB 400 e o CNAB 240. Os dois contribuem para a padronização das funções de envio e recebimento das informações digitais, mas existem algumas diferenças, como você verá a seguir. 

CNAB 400

Normalmente, o CNAB 400 é usado para arquivos com menor quantidade de informações e limitados a 400 posições por registro. Ele atende às demandas de carteiras mais simples e da carteira garantida, fornece serviços de protesto e envio de títulos via correios, mas não inclui o serviço de bancário correspondente (lotérica e outros de instituições autorizadas pelo Banco Central).

CNAB 240

O CNAB 240 é empregado em arquivos digitais com um número maior de informações. Para manter a organização, os dados são agrupados em quatro segmentos diferentes, com 240 posições para cada título dentro do mesmo arquivo.

Assim como ocorre no CNAB 400, as carteiras de cobrança simples e garantida também são bem atendidas nesse tipo de CNAB, com algumas vantagens extras. Os serviços de banco e o de postagem de títulos pelos correios estão incluídos e, além disso, é possível contar com serviços de agendamento de pagamento de contas, custódia de cheques e protesto.

Vale ressaltar que o CNAB não é um serviço exclusivo das instituições bancárias: qualquer empresa pode adotá-lo em seu sistema financeiro para otimizar as operações de cobrança e pagamento de contas.

A revolução das cobranças automáticas

Para quem não quer lidar com nada disso e busca uma solução mais prática para controlar as cobranças, uma das alternativas mais inovadoras do mercado financeiro é o PJBank, um banco digital voltado para pessoas jurídicas que permite a contratação de três serviços financeiros de modo avulso: o recebimento de boletos automaticamente, o recebimento com cartão de crédito e a conta digital propriamente dita.

Com o PJBank, a emissão de boletos é realizada automaticamente e sem a necessidade de arquivos CNAB. Além de ser mais rápido, os valores das taxas para a empresa contratante são menores, e aplicadas somente quando o boleto sofre a baixa.

O PJBank é a solução ideal para empreendedores e gestores de empresas, já que elimina entraves como o CNAB de remessa e retorno, e o prazo de dois dias úteis para enviar o boleto registrado ao cliente. Além disso, o PJBank conta com a funcionalidade de cobrança automática, e é perfeitamente integrável com a Nexaas. 

Ao contratar também o Billimatic, o cliente do PJBank consegue automatizar toda a operação. Todos os processos rodam perfeitamente sem intervenção manual após realizar as configurações iniciais. Tudo isso confere mais praticidade e fluidez à gestão. 

Quer contar com essa conveniência para a sua empresa? Crie uma conta digital PJBank agora mesmo!

Nexaas Soluções