IaaS e PaaS – a infraestrutura e a plataforma como serviços

8/03/19
4 min de leitura

A programação em nuvem permite que as empresas tenham acesso a vários serviços e a uma infraestrutura complexa, sem necessidade de grandes investimentos, já que os custos são diluídos entre todos os clientes do provedor de serviços, tornando o preço final muito competitivo.

Já explicamos aqui no blog sobre os conceitos de XaaS e EaaS, em que, graças aos avanços da computação em nuvem, qualquer produto pode ser oferecido como serviços aos clientes. Nesse contexto, surgiram diversas categorias, como o IaaS e o PaaS. São tantas siglas que a confusão é quase certa!

Quer entender o que está por trás do IaaS e do PaaS? Então é só continuar lendo este post. 

O que é IaaS 

IaaS é a sigla para Infrastructure as a Service, ou Infraestrutura como Serviço. Nesse modelo de nuvem, as empresas podem contratar serviços como espaço para armazenamento, processamento, capacidade de hardware (correspondendo à memória de uma máquina), e até mesmo alguns mais complexos, como servidores e roteadores.  Usando o IaaS, a empresa não precisa adquirir inúmeros equipamentos, pois pode optar por utilizar um data center de maneira remota. 

O valor a ser pago pelos serviços de infraestrutura variam de acordo com o fornecedor e os serviços utilizados: por exemplo, a quantidade de dados armazenados ou enviados e o número de servidores necessários. Todos esses serviços são fornecidos por um data center com servidores virtuais e, como de costume nesse modelo de negócio, o cliente só paga por aquilo que efetivamente precisar. 

Vantagens do IaaS para as empresas

Um dos maiores trunfos do IaaS é a escalabilidade, já que a quantidade de dados para processar pode variar de mês para mês, e, com esse modelo, é possível simplesmente contratar mais servidores caso o tráfego aumente. Assim como qualquer outro serviço por assinatura, é possível cancelar, aumentar ou diminuir o mecanismo de IaaS quando o cliente desejar, fazendo com que o serviço se adapte às reais necessidades. Isso seria mais complicado utilizando servidores físicos, por exemplo. 

A segurança de dados é outra enorme vantagem do IaaS. Armazenar as informações da empresa em um servidor remoto é uma ótima forma de assegurar a integridade desses dados, já que não há possibilidade de eles se perderem por acidente. Além disso, ele representa uma redução de custos, já que elimina a necessidade de investir em servidores robustos e permite contratar somente a capacidade necessária, sem desperdício. 

O IaaS é ideal para negócios de menor porte que estão em rápida ascensão, o que faz com que sua infraestrutura não acompanhe o ritmo de crescimento. Também é recomendado para empresas com demandas que variam muito, como é o caso dos e-commerces. Vale, porém, ficar atento para o fato de que o IaaS não é aconselhável em casos em que haja limites de desempenho ou restrições legais ao armazenamento ou à terceirização de dados.

O que é PaaS 

Outro modelo que está se tornando muito popular é o PaaS, sigla para Platform as a Service, ou simplesmente Plataforma como Serviço, que corresponde à uma plataforma inteira desenvolvida por uma empresa provedora. No PaaS, o serviço oferecido é um ambiente completo de desenvolvimento, em que é possível criar, alterar e melhorar softwares e aplicações, de acordo com a demanda do cliente.

Por exemplo, se uma loja virtual quiser criar seu próprio aplicativo, ela pode usar esse espaço para criar e testar as interfaces, sem ter que se aventurar no complexo (e caro!) universo dos softwares de desenvolvimento. Usando o PaaS, todas as ferramentas, aplicativos e base de dados rodam em um espaço específico, o que proporciona uma plataforma completa de software, hardware e aplicativos sem ter que investir uma fortuna. 

Vantagens do PaaS para as empresas

A principal vantagem é que, como tudo é feito na nuvem, a equipe de desenvolvimento conta com uma infraestrutura completa ao seu dispor, sem que a empresa precise fazer altos investimentos. Os profissionais da empresa só precisam se ocupar da programação do software, já que tanto a manutenção e atualização como também o controle dessa infraestrutura são de responsabilidade do fornecedor. 

Além disso, são oferecidas diversas ferramentas de desenvolvimento de software na plataforma, o que a torna robusta e acessível, disponível na nuvem para quem contratar os serviços. Trata-se de um serviço de ótimo custo x benefício que atende todas as demandas dos programadores e são simples de utilizar. 

O PaaS é ideal para empresas que contem com uma equipe de desenvolvedores e que necessitem de uma infraestrutura completa e moderna para realizar as tarefas, ou para casos em que haja uma grande integração com o banco de dados.

Entretanto, se o desempenho do software exigir um hardware ou aplicativo específico, o PaaS não é recomendado. Outro ponto fraco é que, como esse modelo utiliza algumas linguagens próprias, pode ser mais difícil mudar de fornecedor no futuro. Esse é um aspecto que precisa ser levado em consideração antes de contratar um PaaS, porém, é um problema possível de ser contornado. 

Esperamos que este post tenha sido útil para ajudar você a entender os conceitos e as aplicações do IaaS e do PaaS para os negócios. Se você gostou do artigo, não esqueça de compartilhá-lo em suas mídias sociais!