Fim do boleto sem registro: sua empresa está preparada?

Como muitos já sabem, o boleto sem registro foi extinto no início de 2017, dando lugar somente aos boletos registrados. Se sua empresa trabalha com esta modalidade, é preciso saber como se preparar para essa mudança. Pensando nisso, preparamos este artigo contendo todas as informações que você precisa saber sobre o assunto. Confira!

Quais as diferenças entre boleto sem registro e o boleto registrado?

A principal diferença entre esses dois tipos de cobrança é que um deles precisa ser registrado no sistema bancário e o outro não. Com o registro, o banco passa a ter todas as informações sobre a cobrança. Para que seja possível fazer o cancelamento ou qualquer modificação no boleto, como data de vencimento, é necessário enviar um arquivo de remessa ao banco, informando os dados da transação.

Isso não acontece na cobrança sem registro, existe apenas o custo da liquidação – a empresa paga uma taxa ao banco quando o boleto é pago. Caso o boleto não seja pago, não há cobrança da taxa.

Na cobrança com registro, no entanto, o banco pode cobrar (dependendo da negociação) algumas taxas, como liquidação, emissão, permanência e protesto. Sendo assim, o custo deve subir bastante num primeiro momento.

Por que houve essa mudança?

O principal motivo dessa mudança foi trazer mais segurança e reduzir os prejuízos causados pelas fraudes de boleto, um golpe muito comum no Brasil, que consiste basicamente em alterar o número de código de barras, desviando o dinheiro para outra conta. Geralmente esse golpe era feito através de um vírus instalado no computador do consumidor final.

O que é preciso fazer para se adaptar?

Para se adequar à nova modalidade, você deve averiguar sua carteira de clientes,  tanto os atuais, quanto os contratos antigos para quem você ainda emite boletos não registrados.

Depois disso, entre em contato com o seu banco para se informar sobre o processo de migração dos boletos. Pergunte no banco quais serão as taxas para as operações de registro, manutenção de título vencido, alteração de data de vencimento e cancelamento de boleto. Com essas informações, você poderá decidir qual é a melhor instituição para emitir suas cobranças.

Inicialmente, pode parecer muito trabalho, mas não há motivos para se preocupar, uma vez que o objetivo da nova medida é ter mais segurança e evitar maiores problemas.

A utilização dos arquivos de remessa e retorno do CNAB (Centro Nacional de Automação Bancária) para fazer cobranças registradas pode ser um trabalho exaustivo devido ao volume de dados que entram e saem diariamente. Por isso, ter um sistema que armazene, organize e administre tais informações será imprescindível para qualquer empresa seguir as novas regras.

 

Nexaas Soluções