Você sabe avaliar a saúde financeira de sua empresa?

26/11/18
4 min de leitura

Para ser um bom gestor, é importante conhecer o mercado, a área de atuação da empresa e, principalmente, a saúde financeira da empresa, o que é feito avaliando a situação de determinados parâmetros e indicadores. Dessa maneira é possível direcionar melhor o planejamento estratégico e ajudar no processo de tomada de decisões. 

Existem muitas maneiras diferentes de avaliar a situação econômica e financeira de uma empresa. Neste post, vamos explicar as principais. 

Atente para o Índice de faturamento

Para manter a saúde financeira em dia, é preciso que o gestor esteja atento ao índice de faturamento da empresa, um indicador que define como está o andamento dos negócios, determinando quantos deles estão sendo efetivamente fechados. Como consequência, esse indicador aponta também para o volume de dinheiro que entra na empresa. 

Além disso, analisar esse indicador é importante porque ele reflete no cumprimento das metas, uma vez que, se as vendas estiverem abaixo do previsto, o faturamento também será menor do que as expectativas da empresa. Entender isso permite traçar um plano B para contornar situações adversas.

Reavalie os prazos de recebimento

Fechar muitas vendas não significa receber todo o valor faturado imediatamente, e a análise dos prazos de recebimento define se o tempo necessário a empresa receber pela venda realizada está dentro ou fora da normalidade. 

Esse indicador é extremamente importante para a saúde financeira do negócio, já que define se as políticas de vendas a prazo precisam ser reavaliadas para não perder dinheiro. É essencial que haja equilíbrio entre as vendas parceladas e à vista. 

Cuidado com o endividamento da empresa

O gestor que nunca precisou recorrer a empréstimos para manter a empresa operando que atire a primeira pedra. Entretanto, é necessário saber que esse subterfúgio deve ser usado com muito cuidado, somente em último caso. Os recursos tomados emprestados devem contribuir efetivamente para o aumento da lucratividade da empresa pois, do contrário, as dívidas vão se acumular até seu pagamento se tornar inviável. 

Por isso, antes de apelar para o empréstimo, é necessário avaliar os impactos desse procedimento para o crescimento da empresa. 

Faça a análise do Balanço Patrimonial

O Balanço Patrimonial visa a fornecer uma visão geral da situação financeira, e é o índice que mostra como está o patrimônio da empresa no período avaliado. Ele precisa ser bem interpretado para fazer diferença na saúde dos negócios. 

Com o Balanço Patrimonial, é possível fazer um estudo dos bens, direitos e créditos em nome da companhia, e também das obrigações e dívidas perante terceiros, o que viabiliza uma visão de curto, médio e longo prazo do negócio. Dessa maneira, é possível realizar a gestão estratégica da organização de acordo com as demandas econômicas e financeiras.

Analise o Balanço Patrimonial em conjunto com o DRE

O DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) é um relatório importantíssimo para o planejamento estratégico, e visa a demonstrar a formação do resultado líquido do exercício das atividades realizadas pela empresa de forma quantitativa e qualitativa.

Nesse relatório, apuram-se as receitas, os custos e os resultados da empresa em determinado período e, posteriormente, esses dados são analisados de acordo com o princípio contábil do regime de competência de contas. 

Utilizar a análise do DRE em conjunto com o Balanço Patrimonial permitem que o gestor avalie os resultados de uma maneira mais aprofundada e avalie minuciosamente a eficácia das medidas adotadas. Além disso, essa tática viabiliza o estudo de cenários que permitam a expansão da empresa e também a criação de novas estratégias para o futuro que tenham o objetivo de aumentar a lucratividade e melhorar a performance. 

Entenda os principais indicadores econômicos e financeiros

Compreender os indicadores econômicos e financeiros é primordial para que os gestores consigam organizar os números e transformá-los em dados que forneçam insights sobre a situação econômica e financeira da empresa.

Alguns desses índices são os indicadores de Estrutura de Capital, que visam a analisar a situação de endividamento da empresa e avaliar a capacidade de geração de caixa; os indicadores de Atividade, que mensuram a velocidade com que as contas são convertidas em vendas ou em caixa; o Giro de Caixa, usado para avaliar se a receita gerada é suficiente para cobrir as despesas e integrar a conta de reservas da empresa; os indicadores de Rentabilidade, cujo objetivo é avaliar os lucros obtidos com relação às vendas feitas e ao capital investido, entre outros.

Mais do que meros números, esses índices apontam o desempenho econômico e financeiro apresentado em determinado período. Antes de escolher quais indicadores serão utilizados, é preciso que o gestor estude atentamente quais deles são mais relevantes para os negócios e quais são mais utilizados no mercado.

Como você pode perceber por este post, manter a saúde financeira da empresa em dia depende de vários fatores, e demanda análises assertivas e decisões alinhadas com os objetivos da organização. Esperamos que este post tenha sido útil para a gestão de seus negócios!