Indicadores financeiros para analisar a performance anual da sua empresa

17/12/18
6 min de leitura

Para realizar uma gestão empresarial eficiente, se destacar da concorrência e fazer a empresa crescer de maneira saudável, é fundamental dominar os indicadores financeiros, entender quais são os principais e para que servem. Só que esse é um assunto complexo e pode gerar algumas dúvidas.

Neste post, vamos falar quais são os principais índices financeiros que você deve utilizar para analisar a performance anual da sua empresa

Quais são os diferentes tipos de indicadores financeiros?

Existem quatro categorias principais de indicadores, em que cada índice é agrupado de acordo com o objetivo da análise e a origem dos dados. Confira para que serve cada um deles e como proceder para fazer os cálculos. 

Indicadores de rentabilidade

Esses índices servem para avaliar os lucros obtidos no que diz respeito às vendas fechadas, aos investimentos e aos ativos. Eles são utilizados para comparar o desempenho da empresa em momentos distintos e analisar se o capital aplicado realmente trouxe bons resultados.

Existem vários indicadores de rentabilidade. Um dos mais conhecidos é a margem operacional. Ela define o quanto sobra do valor faturado após a dedução de todos os custos da empresa, exceto o Imposto de Renda.

Esse índice é utilizado para medir a eficiência da operação e definir o quanto da receita líquida veio de atividades operacionais, e é calculado dividindo o resultado operacional pela receita líquida advinda das vendas

Outro indicador importante de se ter em conta é o EBITDA. Essa é a sigla para “earnings before interest, taxes, depreciation and amortization”, ou, traduzindo, lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização. Esse índice funciona de forma semelhante à margem operacional, entretanto, ele ignora as despesas financeiras, sendo, portanto, o mais usado pelos especialistas.

O objetivo desse indicador é analisar a maneira com que as vendas afetam o caixa da empresa e qual é o retorno financeiro trazido. Para calculá-lo, pode-se usar a seguinte fórmula:

EBITDA = lucro operacional antes do IR e receitas / (despesas financeiras + depreciação + amortização).

Já a margem líquida é aquele índice que define o percentual que resta de cada real vendido, após a dedução de todas as despesas (incluindo o Imposto de Renda), e ajuda o gestor a entender se o negócio está tendo bons resultados. Ao contrário da margem operacional, a margem líquida, como o nome já diz, usa o lucro líquido como base. 

A margem líquida pode ser calculada pela seguinte fórmula: margem líquida = lucro líquido / vendas líquidas x 100

Indicadores de liquidez

Essa categoria de índices financeiros mostra se a empresa está ou não está apta a honrar com suas dívidas até o prazo de vencimento, e indica a segurança financeira do negócio. Podemos apontar quatro indicadores de liquidez

Um dos mais importantes é a liquidez corrente, que aponta o valor que a empresa tem a receber em relação ao valor que deve ser pago considerando o mesmo período. O ideal é que o resultado seja superior a 1, o que indica que o negócio não está criticamente endividado e é capaz de cumprir suas obrigações em dia. 

É possível calcular a liquidez corrente com a seguinte fórmula: liquidez corrente = ativo circulante / passivo circulante.

Vale lembrar que os ativos circulantes são os bens que podem ser transformados em dinheiro, como valor em caixa, a conta-corrente da empresa, o contas a receber, os estoques, entre outros. Já os passivos circulantes são os débitos que precisam ser quitados no período de um ano, tais como as contas a pagar, o pagamento dos fornecedores, os tributos a serem pagos, os salários dos funcionários, entre outros. 

Já a liquidez seca funciona de forma semelhante, mas sem levar os estoques em consideração, o que faz com que a liquidez seca seja sempre igual ou inferior à liquidez corrente. Trata-se de um índice muito mais preciso, uma vez que os estoques só podem ser convertidos em dinheiro caso haja vendas.

Para calcular a liquidez seca, basta usar a seguinte fórmula: liquidez seca = (ativo circulante – estoques) / passivo circulante.

Na mesma linha, a liquidez imediata mensura somente os saldos bancários, os de caixa e as aplicações financeiras, e é considerada o índice de liquidez mais conservador, e amplamente utilizado para a avaliação de cenário a curto prazo. Esse indicador pode ser calculado assim: liquidez imediata = disponível / passivo circulante.

Por fim, a liquidez geral é usada para avaliar o cenário a médio e longo prazo. Trata-se de um indicador que leva em conta as obrigações (por, exemplo: empréstimos) e os direitos (por exemplo: vendas a prazo) da empresa ao longo dos doze meses posteriores.

Ela pode ser calculada com esta fórmula: liquidez geral = (ativo circulante + realizável em longo prazo) / (passivo circulante + exigível em longo prazo).

Indicadores de estrutura de capital

Esses importantes indicadores são usados para avaliar o endividamento da empresa, sua capacidade de gerar caixa para pagar dívidas e juros, e a garantia de seu crescimento de forma sustentável. Existem vários tipos de indicadores de estrutura de capital

Um dos índices mais importantes de estrutura de capital é o endividamento total/patrimônio, que compara o montante que a empresa deve no mercado com a quantia que foi investida. Essa relação não pode ter um índice muito alto, caso contrário, a empresa terá dificuldade de gerar caixa e obter financiamento, já que grande parte de seus lucros vão direto para o pagamento de dívidas. Calcula-se esse índice diminuindo o capital da empresa de seus débitos a pagar

A cobertura de juros também é outro índice importante, porque é capaz de mensurar a capacidade de uma empresa de quitar os juros de seus débitos sem que isso comprometa a geração de caixa. Normalmente, ela é utilizada em conjunto com o índice anterior para analisar o cenário e, para fazer o cálculo, basta dividir o lucro (antes dos juros e impostos) pelas despesas brutas

Indicadores de atividade

Esses índices servem para medir a rapidez com que as contas da empresa são transformadas em caixa ou vendas. Eles são divididos em giro de caixa e fluxo de caixa

O giro de caixa mensura quantas vezes o caixa da empresa gira num período determinado. Um valor alto nesse indicador mostra que a receita das vendas está sendo utilizado muito rapidamente para financiar as operações. Para calcular o giro de caixa, utiliza-se esta fórmula: giro de caixa = receitas / capital circulante, sendo o capital circulante a parcela do capital que é destinada às despesas operacionais da empresa). 

Já o fluxo de caixa demanda o registro de todas as movimentações financeiras da empresa e é o indicador que permite o controle do caixa em determinado período. Para facilitar o monitoramento e o controle, e melhorar a tomada de decisões, é aconselhável utilizar como aliado um bom software de gestão financeira, como o Myfinance

O giro de estoque é outro indicador importante, na medida que mostra a velocidade da renovação do estoque da empresa em determinado período e aponta quanto tempo um produto permanece armazenado antes de ser vendido. Seu cálculo é realizado através da relação entre a quantidade de itens vendida no período analisado e o total de itens disponíveis no inventário.

Como deve ter dado para notar, os indicadores financeiros são importantes para ajudar o gestor a tomar decisões mais bem fundamentadas e orientar os caminhos pelos quais seguir. Portanto, é preciso ficar de olho neles para analisar o desempenho de sua empresa nesse fim de ano e traçar planos para o próximo.

Gostou deste conteúdo? Então compartilhe em suas mídias sociais!