GTIN – Saiba como tirar proveito desse código na sua loja

8/08/18
3 min de leitura

Você conhece o GTIN? Pois saiba que esta sigla de apenas quatro letrinhas traz inúmeros benefícios para o varejo! Neste post, vamos explicar o que é o GTIN e como você pode tirar proveito desse código em sua loja física ou virtual. 

O que é GTIN?

O GTIN é a sigla de Global Trade Item Number, ou Número Global do Item Comercial, e corresponde à parte numérica dos códigos de barras. O GTIN tem diversas funções no varejo, seja a identificação de produtos em lojas físicas, seja o estabelecimento da singularidade do produto em lojas virtuais.  A maneira mais comum de o GTIN aparecer é na forma de 13 dígitos, mas ele também pode ser formado por 8, 12 ou até 14 dígitos. A estrutura da numeração depende das características do produto e do grau de aplicação dos usuários.

Para utilizar o GTIN, a empresa deve cadastrar os dados de seus produtos no CNP, o Cadastro Nacional de Produtos, mantido pela GS1 Brasil – Associação Brasileira de Automação. É possível fazer isso online pelo site da associação

A estrutura do código GTIN

O prefixo do código identifica de forma exclusiva a empresa fabricante, a marca e o produto cadastrado. Ele não é um número autônomo: aparece logo no início do GTIN, abaixo do código de barras

O GTIN é específico para cada empresa, é único por produto, pode ser cadastrado de acordo com a necessidade e deve ser renovado anualmente, para manter os códigos de barras já existentes registrados e atualizados. 

Conforme já mencionado, o código GTIN pode receber 8, 12, 13 ou 14 dígitos. São eles: 

• GTIN-8: é codificado no código de barras EAN-8;
• GTIN-12: é utilizado no código de barras UPC-A;
• GTIN-12: é codificado no EAN-13;
• GTIN-14: é codificado no ITF-14.

Como gerar o GTIN?

Nem todas as empresas são obrigadas a obter o código GTIN, afinal, essa obrigatoriedade é destinada apenas às empresas fabricantes dos produtos: no caso de revenda, a empresa deve utilizar o GTIN do próprio fabricante para preencher as notas fiscais. Na dúvida, peça orientação ao seu contador para verificar se você precisa ou não gerar esse código. 

Uma vez que seja definido que sua empresa precisa gerar o GTIN, é preciso fazer um cadastro no site do GS1 para se associar. Feito isso, será necessário acessar o site do CPN (Cadastro Nacional de Produtos),  onde serão criados os códigos para identificação de cada item a ser comercializado.

Vantagens do GTIN para o varejo

Sendo um código utilizado primordialmente para identificação de produtos à venda, o GTIN serve para recuperar informações pré-definidas, e engloba tanto as matérias-primas quanto os produtos acabados, destinados ao consumidor final.

A adoção do GTIN viabiliza a automação no recebimento das mercadorias, facilitando os processos. Também proporciona melhorias no controle de estoque, na conferência de pedidos enviados com a nota fiscal recebida, além, é claro, de simplificar e agilizar muito o controle dos produtos e  a permitir sua rastreabilidade.

Como o GTIN pode ajudar sua empresa no e-commerce?

Em lojas virtuais, a precisão dos dados de cada produto é fundamental, por diversos motivos. Um deles é a facilidade de encontrá-los em sites de buscas e comparadores de preços, algo essencial para ampliar o potencial de vendas e aumentar a conversão.

Diversas plataformas, como o Google Shopping, o Ebay e a Amazon, já solicitam que os itens cadastrados e anunciados contenham esse código para o maior controle de suas bases. O GTIN também já é pré-requisito para ingressar nos marketplaces, uma das principais tendências do e-commerce atualmente. 

Além disso, é claro, o uso desse código permite maior precisão nas informações dos produtos e viabiliza a criação de estratégias de marketing mais eficientes, uma vez que, tendo total controle de todos os produtos disponíveis, é possível ter uma visão mais consistente do cenário e saber exatamente quais são os itens que têm mais saída e quais precisam de atenção especial. Dessa forma, é possível criar ações específicas para cada um dos casos.

Se você tem um e-commerce e ainda não conhece o conceito do GTIN e suas aplicações para o varejo, pode estar perdendo uma grande chance de expandir seus negócios e lucrar muito mais. Esperamos que esse post tenha ajudado a esclarecer as principais dúvidas em torno do GTIN. Se você curtiu, compartilhe nas redes sociais!