Equilibre hard skills e soft skills e forme times imbatíveis

25/10/18
4 min de leitura

No âmbito corporativo, é muito comum nos depararmos com as expressões hard skill e soft skill. Esses termos estão relacionados às habilidades desejáveis em um bom colaborador, que podem ser de ordem mais técnica ou de ordem mais comportamental. Ambos os tipos de competências são importantes para formar uma equipe de sucesso! 

Neste post, vamos explicar o que são hard skills e soft skills e ensinar como equilibrar essas habilidades de seus funcionários para ter um time imbatível! 

O que são as hard skills e as soft skills?  

Em linhas gerais, o termo soft skill se refere a habilidades sociais e comportamentais do profissional.  Elas estão associadas às suas competências mentais, suas experiências pessoais acumuladas e sua capacidade de lidar com emoções.

Por serem mais subjetivas e difíceis de ser mensuradas e, por muitos anos essas competências foram negligenciadas nas empresas. Isso é um erro, pois as soft skills são extremamente importantes para manter a competitividade no mercado. Afinal, não adianta nada um profissional ter todas as habilidades técnicas desejáveis para a função mas ter problemas de relacionamento e comunicação com os colegas e clientes. 

Por isso, além de analisar o currículo na hora de contratar, é preciso também estar atento às soft skills desejáveis para a função. É possível observar esse tipo de competência por meio de testes comportamentais e psicológicos, dinâmicas de grupo, entre outras estratégias utilizadas por recrutadores em processos seletivos. 

Alguns exemplos de soft skills importantes para um bom profissional são a facilidade de comunicação interpessoal, a proatividade, a persuasão, a resiliência, a organização, a capacidade de tomada de decisão, a resolução de conflitos, a confiança, o senso de liderança, a responsabilidade, a honestidade, a criatividade e a coragem.  

Já as hard skills se referem às habilidades técnicas, aquelas que podem ser aprendidas em cursos, livros, treinamentos e faculdades e que, em geral, são mais tangíveis e fáceis de se mensurar. Normalmente, certas funções demandam hard skills específicas. Portanto, durante o processo seletivo, o currículo é analisado e os conhecimentos técnicos do profissional são testados. 

Dentre alguns exemplos de hard skills poderíamos citar a gestão de projetos, a gestão de pessoas, a operação de máquinas, a habilidade de programação, o domínio da escrita, a fluência em idiomas, o conhecimento financeiro, o domínio em determinado software ou sistema, entre outras competências necessárias para a realização das atividades. 

Buscando o equilíbrio entre soft skills e hard skills 

Por mais que se contrate com base nas hard skills, o fato é, na nossa realidade atual, já há uma demanda muito maior pelas soft skills desejáveis para a empresa. Na hora da contratação, é preciso que esses dois tipos de competências estejam equilibrados, ou seja, que o profissional esteja bem preparado para exercer suas funções e que tenha habilidades sócio-comportamentais que o diferenciem dos demais candidatos à vaga. As soft skills e as hard skills são complementares entre si e têm pesos relevantes para cada atividade dentro da empresa. Quem conseguir atingir esse equilíbrio, sem dúvida se sobressairá. 

O problema é que, muitas vezes, os recrutadores focam apenas nos conhecimentos técnicos e “esquecem” a parte comportamental. Uma situação bem comum é, em uma entrevista de emprego, um candidato extremamente qualificado ser contratado por causa de seu currículo e, no dia a dia da empresa, demonstrar que seus hábitos e atitudes não são compatíveis com o cargo. Muitas vezes, profissionais nessa situação não se adaptam à rotina da organização e acabam pedindo demissão ou sendo dispensados em pouco tempo. E a alta rotatividade, como sabemos, não é nada interessante para o bom funcionamento do negócio. 

Quanto mais um profissional conseguir balancear adequadamente essas duas categorias de habilidades, mais eficiente ele será. Vale lembrar que as características de hard skill são similares, independente da empresa em que se trabalhe. Em geral, os conhecimentos e competências técnicas exigidos para se exercer uma profissão não mudam muito de lugar para lugar. Em contrapartida, para as soft skills, os padrões podem variar de acordo com a cultura corporativa e com as pessoas com que se trabalha. 

Por isso, a empresa precisa entender bem o seu cenário, conhecer a sua cultura e seus valores e saber exatamente que tipo de funcionário procura. É necessário fazer uma análise das características mais importantes para o seu negócio, buscar profissionais que se alinhem com tais características e, é claro, promover treinamentos para desenvolver as habilidades desejáveis em suas equipes. Só assim será possível contar com os melhores talentos dentro da empresa e extrair o melhor deles para obter resultados excelentes.