Dicas para se adequar ao perfil do jovem consumidor

2/11/18
4 min de leitura

Recentemente, a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) divulgou a pesquisa “Os novos consumidores brasileiros”. Esse estudo inspirador revelou dados importantes sobre o perfil do jovem consumidor de e-commerce, para que as empresas consigam se adequar às especificidades desse novo público que está se formando. 

Neste post, vamos abordar este assunto, mostrar alguns insights trazidos pelo relatório e, é claro, dar algumas dicas úteis de como se destacar junto a esse público. 

Insights interessantes da pesquisa “Os novos consumidores brasileiros”

A pesquisa mostrou que, hoje, 75% dos jovens fazem compras pela internet, usando dispositivos com acesso à internet, como desktops, notebooks, tablets e smartphones. Dentre os que preferem fazer compras utilizando um computador, 61% deles declararam comprar eventualmente, e 9% afirmaram fazer compras todos os meses. Já entre os jovens que costumam comprar online via smartphone, 60% se declaram compradores eventuais, e 10% fazem compras mensalmente.

Esse crescimento das compras via dispositivos móveis nos últimos tempos alerta para a necessidade de contar com uma loja virtual que tenha design responsivo, ou até mesmo com um aplicativo da loja, para conseguir proporcionar uma boa experiência de venda ao jovem consumidor em qualquer tamanho ou formato de tela. 

O estudo também apontou quais são os produtos e categorias mais consumidos pelo jovem consumidor nas lojas online. As informações dão conta de que 76% deles costumam comprar roupas, calçados e acessórios pela internet, 53% têm por hábito comprar aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos, 35% compram fast food, 34% têm o costume de adquirir livros e revistas online, 33% investem nos serviços de transporte, 21% nos produtos de telefonia e de informática, 33% compram passagens aéreas ou de ônibus e pacotes de agências de turismo, 20% usam a internet para comprar ingressos para eventos e festas, 16% aproveitam a internet para adquirir cursos, 11% ficam na aquisição de acessórios automotivos, assim como 11% também declaram comprar medicamentos em lojas virtuais. Por fim, 5% declaram comprar material de construção, 4% fazem compras em supermercados online e 2% responderam que compram outros tipos de produtos em e-commerces. 

Essa lista é muito útil para aqueles que estão planejando a implementação de um e-commerce, porque pode seguir de guia para a criação de um mix de produtos eficiente, que atenda às principais demandas dos jovens consumidores e proporcione melhores resultados. 

No que se refere ao pagamento das compras, o relatório da SBVC também apresenta os métodos de pagamento favoritos do jovem consumidor de e-commerce. A maioria (49%) prefere fazer compras usando cartão de crédito, por conta da praticidade e da possibilidade de parcelamento, 40% dos que responderam à pesquisa costumam comprar usando o tradicional boleto bancário, enquanto 5% preferem o cartão de débito. A pesquisa mostra, ainda, que 3% dos entrevistados costumam utilizar meios como Paypal, Moip e Pagseguro, e que apenas 2% têm o hábito de optar pela transferência online ou pelo depósito bancário

Como se adequar ao perfil do jovem consumidor do e-commerce 

Os dados do relatório indicam alguns pontos interessantes a serem trabalhados. Como vimos anteriormente, é fundamental investir em design responsivo para atingir esse novo público em cheio. Além de se adaptar bem aos diferentes formatos de tela, é essencial que a navegabilidade e a acessibilidade sejam boas, e a loja, bem organizada, para melhorar a experiência de compra. Afinal, essa geração não gosta de perder tempo procurando coisas que deveriam estar acessíveis e pode acabar desistindo da compra no meio do processo. 

Também é extremamente importante planejar bem o mix de produtos da loja, apostando em variedade de opções e, é claro, oferecer diversas formas de pagamento para que o consumidor possa escolher a que melhor lhe atender. 

Uma constatação interessante é a preocupação maior da juventude com os investimentos, um diferencial que não existia . Estima-se que, hoje, 3/4 dos jovens tenham algum investimento, e que estão conseguindo guardar dinheiro reduzindo o valor gasto nos hábitos de lazer. Isso significa que as compras por impulso não são mais tão significativas para essa geração, e que é preciso gerar novos apelos para impulsionar a conversão. 

As informações da pesquisa também nos mostram que a tecnologia não é mais somente uma tendência. Ela realmente já entrou na vida das pessoas para facilitar, afinal, há cada vez mais consumidores comprando online, e esse é um cenário que tem tudo para se intensificar. 

A loja do futuro é aquela que proporciona conveniência ao cliente, seja oferecendo condições facilitadas de pagamento, seja cuidando da logística de forma inteligente, seja disponibilizando várias categorias de produtos em um só lugar. Além disso, prestar um atendimento de excelência nem mesmo é considerado um diferencial nos dias atuais, mas sim uma necessidade urgente em um mercado extremamente competitivo. 

Para quem trabalha também com lojas físicas, é interessante prestar conveniência também integrando esses dois canais. Por exemplo, é possível promover a retirada de produtos adquiridos na loja virtual na própria loja física para economizar no frete, caso o cliente desejar, ou até mesmo permitir a troca de produtos comprados online. O ideal é que todos os canais interajam cada vez mais, para que a experiência do cliente seja incrível e ele nem sequer pense em migrar para o concorrente. Afinal, o jovem consumidor é hiperconectado e exige nada menos do que a excelência quando o assunto é compra online.