Cross border e marketplace – sua loja está pronta?

17/10/18
4 min de leitura

Você sabe o que significa cross border? Esse termo é utilizado para se referir a formas de entregas que ultrapassem barreiras, ou seja, à importação e exportação de produtos.

A viabilidade dessa tendência está ligada ao alinhamento de várias partes envolvidas, como as lojas virtuais, as transportadoras, os sistemas utilizados, os órgãos governamentais, entre outras. Por isso, trata-se de uma operação complexa, mas que pode trazer ótimos resultados.

Neste post, vamos falar sobre os principais desafios do cross border e explicar como driblá-los.

Os desafios do cross border

É possível minimizar as dificuldades do cross border e aproveitar essa grande oportunidade de crescimento. Dentre os possíveis obstáculos, se encontram as questões regulatórias, o processamento dos pagamentos, a logística e a prontidão organizacional.

A movimentação financeira entre as lojas e os clientes nesses casos ainda hoje é um desafio devido a diversos fatores como o longo prazo de entrega, problemas de logística, entraves alfandegários e falhas de comunicação ao longo do processo. Inclusive, um dos grandes problemas para o e-commerce brasileiro é mesmo a dificuldade em comunicar claramente o consumidor sobre as etapas da compra, como a entrega, a disponibilidade e os meios de pagamento. Isso diminui as chances de venda, já que o possível cliente se sente inseguro e desiste da compra.

Outro impacto negativo é a falta de preparo das empresas para a logística reversa, ou seja, as trocas e devoluções caso o produto não corresponda às expectativas. Ainda hoje há muita dificuldade e lentidão nesse processo, o que afeta a conversão. Melhorar isso com um sistema de entregas inteligente ajudaria a otimizar os resultados.

Além disso, obedecer às normais fiscais e tributárias, e arcar com todos os custos envolvidos em um processo de importação, também são fatores que dificultam as negociações entre empresas de transporte e comércios online.

Outro ponto sensível é o sistema de entregas ineficiente. Uma pesquisa da transportadora Jad Log comparou a eficiência de sistemas de entrega na Europa e no Brasil e apontou que o uso de estratégias de rastreamento e pontos de entrega (pick up points) que serviriam como ponte para que os itens fossem entregues e despachados mais agilmente poderiam ser úteis para que o comércio fronteiriço ganhe força. Isso porque estimulariam a competitividade entre as transportadoras que atuam no mercado e, consequentemente, levariam à diminuição dos preços de frete e à melhoria do serviço prestado.

Cross border e marketplaces: como viabilizar?

Hoje, já existem empresas especializadas em intermediar a importação direta de produtos para revenda. Esses mediadores ajudam a estruturar e agilizar a importação direta, e se responsabilizam pelo pagamento no Brasil, pelo envio de valores para fora do país, do recolhimento dos impostos e das questões relativas ao frete. Ou seja, são empresas que administram a importação e garantem a segurança e a proteção da mercadoria até chegar ao seu destino final, sem erros de percurso.

Também é preciso pensar em novos sistemas de logística, que evitem prejuízos, atrasos e custos altos. Com mais agilidade em um sistema de entregas inteligente, tanto o consumidor quanto o lojista conseguiriam visualizar em tempo real o paradeiro do produto enviado e a estimativa para a entrega na casa do cliente.

Esse novo modelo é bom para todos, pois além de dar mais opções para os clientes, também oferece uma nova opção de fornecimento para as lojas virtuais, já que elas passam a contar com produtos estrangeiros em seu mix de produtos. Isso pode ajudar a atrair consumidores e aumentar a taxa de conversão sem que, contudo, seja necessário administrar todas as questões burocráticas envolvidas em uma importação.

Viabilizar e otimizar as operações de cross border dentro da legalidade é uma ótima oportunidade de fomento para o e-commerce brasileiro, proporcionando tanto ao cliente como ao lojista a segurança necessária para as transações e ajudando a melhorar a lucratividade da loja online.

Para que isso seja possível, os varejistas e os marketplaces devem trabalhar juntos, cooperando mutuamente e oferecendo um serviço de excelência para além das fronteiras, sem lentidão na entrega, pagamento de taxas ou multas e outras surpresas desagradáveis.

Aquelas empresas que conseguirem se adaptar à tendência e montarem uma operação segura e perfeitamente alinhada com a legislação vigente sairão na frente quando o cross border deslanchar de vez. Afinal, essa é uma demanda em ascensão dos consumidores brasileiros e, a partir do momento em que eles encontrarem uma loja virtual que ofereça qualidade, rapidez, garantia e proteção, sem dúvida a abraçarão para sempre. As chances de lucrar muito mais e, de quebra, garantir clientes fiéis, são enormes!

E a sua loja, está pronta para encarar esse desafio?