Características e desafios da gestão de empresas familiares

16/11/18
5 min de leitura

Você tem uma empresa familiar? Então, saiba que para realizar a gestão os cuidados devem ser redobrados. Isso porque apenas 12% das empresas familiares chegam à terceira geração, um dado preocupante se considerarmos que, de acordo com o IBGE, mais de 90% dos negócios brasileiros são de natureza familiar

Porém, com uma gestão estratégica com foco em resultados e algumas precauções, é possível reverter esse cenário. Para garantir a prosperidade de sua empresa por gerações e gerações, continue lendo este post! 

O que é uma empresa familiar?

Antes de falar da gestão propriamente dita, é bom definir o conceito de empresa familiar. Para os juristas, um negócio familiar é aquele que, desde a fundação, é administrado por membros de uma mesma família, com ou sem auxílio de profissionais de fora. 

E é aí que residem os problemas. Muitas vezes, a gestão é feita focando em privilégios, e não em resultados. Além disso, pode-se cair na tentação de administrar o negócio usando mais o coração do que a razão, o que acaba tornando os processos de decisão e negociação muito mais complicados. Outro problema diz respeito à profissionalização dos familiares, visto que nem todos os herdeiros têm capacitação ou talento para estar à frente dos negócios familiares. 

Para garantir a continuidade da organização e não destruir o legado da família, é preciso pensar na sucessão. Em certos casos, o melhor a se fazer é uma holding para proteger o patrimônio. Em outros, pode ser necessário negociar um acordo de sócios e acionistas ou até mesmo estabelecer regras internas de como os recursos devem ser usados e dos processos que devem ser seguidos para a contratação de familiares. 

Os principais desafios da gestão de empresas familiares

A sucessão pode ser um problema por várias razões, tais como conflitos geracionais, dificuldades em se atribuir papéis para cada membro da família, capacitação técnica dos sucessores, entre outras.  A seguir, conheça alguns dos principais desafios desse tipo de gestão. 

Inovação

Sem dúvida, um dos maiores desafios a serem encarados por uma empresa familiar é inovar na gestão. Infelizmente, muitos tendem a pensar que um negócio familiar deve ter a administração mais tradicional e engessada possível, desorganizada, muito voltada para o emocional, sem delegação de tarefas, planejamento estratégico e busca por resultados. Por isso, acabam perdendo competitividade.

É por isso que se faz necessário dar alguns passos em busca da inovação, como a adequação dos processos operacionais e comerciais, a reestruturação da empresa, a ampliação de mercados e o investimento em novas tecnologias

Por sinal, abraçar a tecnologia é essencial para o sucesso das empresas mas, no modelo familiar, é bem comum que haja certa resistência à automação de processos e à adoção de soluções tecnológicas para tornar as entregas mais eficientes e o dia a dia mais produtivo. 

Profissionalização da família

Mais de 40% dos administradores de negócios familiares pretendem passar a gestão para os membros mais novos do clã, e é por isso que o treinamento e a profissionalização dos membros da família são tão importantes. Afinal, se a próxima geração não tiver capacidade técnica para conduzir os negócios no futuro, a empresa estará fadada ao fracasso. 

 

Contratação de talentos externos

Mesmo quando os membros da família estão sendo treinados para assumir a responsabilidade pelos negócios, às vezes é necessário trazer um profissional de fora que tenha a expertise necessária para exercer determinada função. Isso pode causar uma certa resistência e até “ciúmes” dos familiares.

Entretanto, existem situações que pedem novas habilidades e conhecimentos, uma demanda que os membros da família nem sempre podem suprir. É preciso ter maturidade para entender que uma ajudinha externa pode cair muito bem.

Controle das emoções

Em geral, a prosperidade de um negócio familiar é fruto da visão e da paixão de um determinado membro que, um dia, resolveu correr atrás do sonho de empreender. A história pode ser muito bonita e inspiradora, entretanto, é um risco ser 100% emocional e deixar o lado racional de lado quando o assunto é gestão de empresas familiares. 

Como cada membro da família tem opiniões e prioridades diferentes, é muito comum que desentendimentos aconteçam ao longo do percurso, sobretudo no que concerne à tomada de decisões estratégicas. Por isso, é fundamental definir um plano de sucessão

Como gerenciar com sucesso uma empresa familiar

Para que os negócios tenham vida longa, é necessário um planejamento sólido. Para começar, é necessário definir metas e objetivos para a empresa, para curto, médio e longo prazo. Também é necessário desenvolver um plano de sucessão e delegar as responsabilidades entre os membros da família. Nesse momento, pode ser necessário contratar profissionais de fora para reforçar ainda mais o time. 

Uma etapa seguinte seria definir o processo de tomada de decisões, identificando os membros responsáveis. Lembre-se de que o plano de sucessão deve ser documentado por escrito e devidamente comunicado para toda a família. 

Também é necessário criar um plano de negócios e elaborar um contrato de compra e venda que reflita o valor da empresa, para diminuir a carga tributária. Além disso, é importante criar um plano de transição e estabelecer um cronograma para implementar todas as mudanças feitas na estrutura da empresa. 

Por fim, é preciso lembrar que não é porque o negócio é familiar que a sua gestão deve ser amadora. Hoje, já contamos com ferramentas incríveis para facilitar a gestão corporativa, otimizar os processos e tornar o fluxo de trabalho mais inteligente e produtivo. A Nexaas conta com soluções integradas para fazer a sua empresa prosperar, fale conosco e tire as suas dúvidas!